Home » Directamente do Brasil » “E aí…Comeu?” de Felipe Joffily

“E aí…Comeu?” de Felipe Joffily

E aí…Comeu? Esta é certamente uma das perguntas mais recorrentes e irresistíveis entre amigos confessionais nos bares por esse Brasil a fora…

Mais do que isso, é praticamente um manifesto do universo masculino que serve de preâmbulo nesta ficção machista do Diretor Felipe Joffily. A comédia, de título aberto e despudorado, se debruça sobre os dilemas e frustrações deste mundo dicotômico homem-mulher e na dinâmica dos relacionamentos, brigas, desejos e traições.

O longa é protagonizado pela tríade de personagens Fernando, Honório e Fonsinho que reúnem-se assiduamente no bar “Harmonia” para trocar ideias sobre mulheres e sexo, eventualmente relacionando-as com suas vidas amorosas. Vidas que passam por momentos distintos e é justamente a partir desta heterogeneidade que a ação e a graça (ou desgraça) do filme transcorrem.

Fernando (Bruno Mazzeo) é abandonado pela esposa e se vê encantado pela vizinha adolescente, que parece retribuir o sentimento; Honório (Marcos Palmeira) é casado com a bela Leila e pai de três garotinhas, mas mantém uma relação fria com a esposa, que frequentemente ausenta-se de casa em programas noturnos sobre os quais jamais dá satisfação ao marido; e Fonsinho (Orciollo Netto) que é um escritor rico, fracassado e ninfomaníaco, com tara por mulheres casadas e cujos principais gastos são pornografia e prostitutas de luxo.

O contexto pode ser engraçado, mas além de um cenário perfeito para piadas prontas e diálogos impagáveis, a história sugere uma reflexão ao tentar entender o papel do homem diante de uma nova mulher. Preciso reconhecer e fazer um alerta que o filme não escapa de clichês e obviedades já desgastadas em nossa dramaturgia, como a piada sobre a diferença no órgão sexual da asiática (este é apenas um, dos muitos exemplos), mas procura compensar as previsibilidades do roteiro sem apelar para nudez ou grosseria gratuita.

O elenco apresenta performances competentes e é justo destacar a participação do garçom Seu Jorge (interpretado pelo próprio músico Seu Jorge) que atende aos três amigos.

Assim, a fragilidade do texto reside na falta de profundidade às figuras femininas, tornando o filme sexista além da conta, o que é uma pena, pois E aí… Comeu? poderia ter sido uma boa leitura do homem contemporâneo se tivesse sido menos literal nos diálogos e mais profundo na construção de suas mulheres.

Ainda assim um bom entretenimento para quem procura se divertir.

by Christian Falkembach

Site Oficial
Trailer

About

Já vão 10 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Pub

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: