Home » Estreias » “Trumbo” de Jay Roach

“Trumbo” de Jay Roach


O que têm em comum Adam Mckay, Tom McCarthy e Jay Roch? Um passado mais ou menos virtuoso (depende sempre das opiniões) na comédia norte-americana… e 3 grandes filmes dramáticos em 2016!
Deles apenas Roach não alcançou a nomeação como realizador aos Oscars®deste ano, o que não quer dizer que não a merecesse.

Trumbo é, seguramente, uma das grandes surpresas/revelações desta temporada dos prémios. O destaque total dado a Bryan Cranston não tem feito justiça à qualidade do filme no seu todo. Pese embora o imenso desempenho do ator de Breaking Bad – quiçá acima do afamado e recorrentemente premiado trabalho de DiCaprio em The Revenant -, há muito mais para lá do seu protagonista.

Helen Mirren é simplesmente brilhante no papel de Hedda Hopper… e uma das grandes esquecidas das nomeações. Num papel verdadeiramente secundário, a dama inglesa é o epicentro de TODAS as cenas em que participa. Diane Lane e Louis C.K. cumprem com brio respetivamente os papéis de esposa e melhor amigo de Trumbo enquanto Elle Fanning continua, passo a passo, a sua segura afirmação por entre tamanhas estrelas.

Mas não é só de atores que o filme é feito. O argumento é precioso, assim como a História verídica em que é baseado, funcionando tanto como uma obra de entretenimento como um alarmante retrato de uma era não assim tão distante. O cinema como ferramenta e vítima da sociedade, será sempre o prenúncio de grandes emoções e comoções.

Dalton Trumbo (Cranston) era um dos mais conceituados (e bem pagos) argumentista dos anos 50 que, porém, não se incumbia de reivindicar, defender e difundir as suas convicções políticas, à altura conotados (nos EUA) como comunistas. O seu pensamento, partilhado com muitos outros argumentistas e demais intervenientes da 7ª arte, irá torná-lo numa das figuras primordiais do mundo artístico da famosa Caça às Bruxas encetada pelo Senador McCarthy e o partido republicano.
Mesmo perante todas as contrariedades, Trumbo permaneceu altivo, ativo e convicto do seu rumo, das suas convicções e do seu talento.

Mais do que uma lição de vida ou um retrato sentido (ou sentimentalista) a obra de Jay Roach consegue contornar todas as armadilhas e apresentar um retrato sincero e airoso de uma situação amplamente complexa e difusa.
De forte índole dramática, o filme não se escusa ao humor, à sátira e demais estilos narrativos para dar a conhecer um homem invulgar, senhor de uma personalidade ímpar e controversa.

Com expetativas moderadas à partida, Trumbo revelou-se uma agradabilíssima surpresa, superando largamente qualquer pré-conceito existente. Há uma riqueza de factos, formas e feitios que deixam até os mais renitentes com uma sensação de prazer ao sair da sala de cinema.

Estamos perante uma das mais diversificadas e qualitativas Temporadas do Prémios dos últimos anos, ao ponto da ausência de Trumbo na lista dos nomeados ao Oscar® de Melhor Filme não poder ser encarada como desprestigiante (ou incompreendida).

As aparências podem iludir… que o diga Dalton Trumbo!

Site
Trailer

About

Já vão 10 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Pub

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: