Home » News » Em Fevereiro nos cinemas…

Em Fevereiro nos cinemas…

Janeiro foi a correr. Mas fevereiro tem, também, muito BOM cinema para oferecer.

Já esta semana, o filme mais nomeado e principal candidatos aos Oscars deste ano. THE SHAPE OF WATER surgiu no nosso radar no final do Verão passado quando venceu o Leão de Ouro do Festival de Veneza e obrigou Guillermo del Toro a adiar todos os seus projetos futuros para poder estar disponível para promover o filme… e receber os prémios. É esse o preço que se paga em Hollywood pelo sucesso! Mas duvido que alguém se queixe. Fábula da II Guerra Mundial, o universo fantástico do realizador mexicano – que já teve direito a outras homenagens como El Laberinto del Fauno ou o mais comercial Hellboy – tem conquistado o público e a crítica por onde passa. E se a história não fosse suficientemente atrativa, tem ainda uma homem-peixe, uma funcionária surda-muda e Michael Shannon, a fazer de Michael Shannon. A expetativa de encontrar um daqueles filmes que nos faça saltar da cadeira e que nos derreta o coração é quase insuportável.

No mesmo dia estreia por cá o mais recente assalto de Paul Thomas Anderson e Daniel Day-Lewis ao estatuto de lendas vidas do cinema. No caso do ator inglês mais do que um assalto é o cimentar dessa posição. Quanto ao realizador californiano não sei bem como situá-lo. Magnolia continua a ser o meu filme preferido – de todos os tempos – mas as suas obras mais recentes, apesar do louvor da crítica mais acérrima, estão bem longe de me convencer (nomeadamente The Master e Inherent Vice). Lembrar ainda que o segundo Oscar conquistado por Day-Lewis foi precisamente às ordens de PT Anderson, em There Will Be Blood. Dupla de muito sucesso, então, que se aventura, desta vez, pelos anos 50 e o mundo da Alta-Costura. Em PHANTOM THREAD, um reputadíssimo estilista londrino vê a sua outrora pacata existência ser assolada pela presença de uma nova e irreverente paixão.

Continuamos na senda dos prémios com I, TONYA. Da lista é o único que já tivemos o prazer de ver, e podemos e devemos enfatizar o prazer. O filme de Craig Gillespie é uma das mais agradáveis surpresas desta temporada dos prémios, não só pelos desempenhos de Margot Robbie e Allison Janney mas, sobretudo, pelo argumento de Steven Rogers e a montagem de Tatiana Riegel – merecidíssima nomeação ao respetivo Oscar! Podemos até conhecer a história de Tonya Harding e Nancy Kerrigan mas o forma como o filme desconstrói a História e nos dá a conhecer a versão “oficial” de Tonya, é um exemplo de como o cinema pode e deve ser criativo, único e memorável.

Ausente nas nomeações aos Oscars mas bem presente nos BAFTA – nomeação para Melhor Ator, Atriz e Argumento Adaptado – o britânico FILM STARS DON’T DIE IN LIVERPOOL promete um grande romance, ainda para mais baseado numa história verídica, entre um jovem e uma consagrada atriz, uns anitos (valentes) mais madura. Jamie Bell e Annette Bening são os protagonistas do filme realizado pelo escocês Paul McGuigan que promete aquecer os corações e, quer-me parecer, encher os olhos… com água. O que se confirmou, depois do visionamento. Grandes desempenhos de ambos os protagonistas, ainda que o enredo seja algo previsível. De qualquer forma um must-see.

Por falar em BAFTA, outro dos filmes admirados pela Academia britânica tem por título THE DEATH OF STALIN. Começando pelos fait divers, o filme, tal como seria esperado, foi banido na Rússia e outras antigas repúblicas soviética, dada o sua natureza satírica e controversa. O filme, tal como o título dá a perceber, acompanha os dias seguintes à morte de Joseph Estaline, líder da União Soviética durante mais de 30 anos (incluindo toda a II Guerra Mundial) e o vazio de poder que se seguiu. De forma cómica, corrosiva ou exagerada – conforme o ponto de vista – Armando Iannucci reescreveu a História e conta aquilo que ninguém ousou fazer antes. Com maior ou menor autenticidade, ficamos a conhecer, um por um, todos os pretendentes ao “trono” e a sua estratégia para lá chegar. Promete! (NOTA DA DISTRIBUIDORA: A estreia do filme foi adiada para Maio)

É uma das relíquias de 2017. THE FLORIDA PROJECT do realizador Sean Baker é a amostra do verdadeiro cinema independente norte-americano, pelo olhar e talento de um dos seus expoentes máximos. Já em 2015, Tangerine tinha-lhe garantido os maiores elogios e, desta vez, o filme faz a ponte dos Independent Spirit Awards para os Oscars (e para os Golden Globes, e para os BAFTA). O trabalho do realizador nova-iorquino parece realmente louvável mas ajuda ter um ator com o talento de Willem Dafoe – nomeação para Melhor Ator Secundário. O filme acompanha as férias de Verão da pequena Moonee de apenas 6 anos, protagonizada pela estreante Brooklynn Price, num modesto motel nas mediações da Disney World de Orlando, onde a sua mãe trabalha.

Por falar em atores secundários, este mês temos, também, direito a Christopher Plummer. Ainda antes de ganhar fama por razões extra-cinematográficas, já a mais recente realização de Ridley Scott era apontado como um dos filmes mais relevantes da temporada dos prémios. Mark Wahlberg, Michelle Williams e, na altura, Kevin Spacey, encabeçavam um talentoso elenco e a contundente história verídica do rapto do neto do magnata e milionário J. Paul Getty, era mais do que suficiente para captar a atenção da indústria (e a nossa!). Depois vieram os reshoots, a substituição de Spacey por Plummer e a nomeação, deste último, ao Oscar, ao BAFTA, ao Golden Globe. ALL THE MONEY IN THE WORLD, como um todo, não chegou a “apanhar o barco” das nomeações mas há a plena convicção que estamos perante um dos grandes filmes do ano. E Plummer tornou-se, ao fim de 15 dias de trabalho, no mais velho ator a ser nomeado para um Oscar.

Fora da corrida mas protagonizado por um dos atores de 2017, LBJ conta a história de um dos mais controversos e instigados presidentes dos EUA. Woody Harrelson é Lyndon Baines Johnson, o vice-presidente de JFK que assumiu a presidência após o assassinato do Presidente norte-americano e que teve o exaustivo trabalho de viver sobre a sua sombra. Sob a alçada do veterano Rob Reiner, Harrelson volta a assumir pleno protagonismo num filme que confirma a versatilidade e imenso talento de um ator ímpar. Woody estará de regresso este ano para mais aventuras e desempenhos memoráveis, a começar por Solo no qual faz o papel de mentor do protagonista mas LBJ parece realmente ser o grande desafio da sua carreira.

Os heróis da banda-desenhada já tomaram conta do cinema (pipoca) e este ano, as aventuras começam já em fevereiro. Depois da sua apresentação em Civil WarChadwick Boseman volta a encarnar o vigilante T’Challa (aka Black Panther), desta vez num filme amplamente dedicado ao Reino de Wakanda, do qual é o líder supremo. A Marvel promete desconstruir tudo o que conhecimentos do seu MCU e o ponto de partida parece ser já este BLACK PANTHER. Ryan Coogler que ajudou a transformar Michael B. Jordan num dos atores mais mediáticos da atualidade assume a cadeira de realizador, tendo convencido o seu colaborador habitual a assumir o papel de vilão deste filme. Do elenco, composto quase exclusivamente por afro-americanos, contam ainda nomes como Lupita Nyong’oForest WhitakerAngela Bassett e, o recentemente nomeado para o Oscar de Melhor Ator (por Get Out), Daniel Kaluuya! E, claro, alguns dos habituais super-heróis (e super-vilões) do Universo Cinematográfico da Marvel. 

Por falar em heróis que tal uns de carne e osso? Clint Eastwood dá vida (literalmente) à incrível história dos 3 militares norte-americanos que impediram um ataque terrorista, a bordo de um comboio que fazia a ligação entre Bruxelas e Paris. Para além de contar com o olhar e autenticidade do veterano realizador, THE 15:17 TO PARIS é protagonizado pelos próprios militares que assumem os seus próprios papéis, na reconstituição desse episódio aterrador. Pouco mais de 2 anos passarem desde os facto verídicos retratados, pelo que Eastwood não poderia estar a trabalhar com uma História mais real do que esta. Felizmente, também, a história encontrou o homem certo para a contar. Anthony SadlerAlek Skarlatos e Spencer Stone são os 3 heróis da vida real que se estreiam em frente das câmaras, a fazer o que melhor sabem!

Mas nem só de filmes sérios e de aventura vive o cinema. É verdade que cada vez em menor quantidade mas este mês teremos, também, direito a uma comédia e logo com Matt Damon como protagonista e o imenso talento de Alexander Payne, no papel de argumentista e realizador. À imagem das anteriores obras do realizador, o ser humano e os seus múltiplos dilemas são o tema central de mais uma obra que promete fazer-nos pensar, sonhar, rir, chorar e refletir. O excesso de população no mundo e a consequente escassez de recursos, leva um grupo de cientistas a adoptar uma solução radical, diminuir o tamanho dos seres humanos que se voluntariem para esse procedimento. O senão é que o DOWNSIZING é irreversível. Será preciso dizer mais, ou menos, neste caso?

Fechamos com, muito provavelmente, o filme mais aguardado do mês. O que não quer dizer pouco, face à quantidade de filmes de qualidade que estreia em Fevereiro. O culminar da trilogia 50 Sombras por todas as razões, e mais alguma, prepara-se para ser o grande campeão de bilheteiras este inverno, em Portugal e um pouco por todo o mundo. Rodado em simultâneo com o seu antecessor, FIFTY SHADES FREED volta a contar com James Foley como realizador e com a dupla de protagonista que tem aquecido e feito suspirar meio mundo. Dakota Johnson e Jamie Dornan são, uma última vez, Anastasia Steele e Christian Grey num filme que promete o “Climax“. O frenesim está garantido, a ver vamos se o filme corresponde às expetativas.

Nota de rodapé para a estreia este mês, de um dos filmes destacados no nosso resumo de Janeiro12 STRONG. O filme de Chris Hemsworth viu a sua estreia adiada, à última hora, para 22 de Fevereiro, mas continua a ser um dos mais aguardados do ano.

Linha Fantasma, LBJ, As Estrelas Não Morrem em Liverpool, As Cinquenta Sombras Livre, Black Panther, 15:17 Destino Paris, Eu, Tonya e Pequena Grande Vida são distribuídos pela NOS Audiovisuais.
A Forma da Água é distribuído pela Big Pictures Films.
12 Indomáveis é distribuído pela Pris Audiovisuais.
A Morte de Estaline e Todo o Dinheiro do Mundo são distribuídos pela Cinemundo.
The Florida Project é distribuído pela Alambique.

About

Já vão 10 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Pub

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: