Home » Estreias » “O Predador (The Predator)” de Shane Black

“O Predador (The Predator)” de Shane Black

Ainda não foi desta.

Já lá vão mais de 30 anos e Arnold Schwarzenegger (e o filme de John McTiernan) continua a ser a grande referência no que à mítica personagem extra-terrestre com um apurado instinto de “matança”.

Danny Glover, Adrien Brody e até o Alien tentaram fazer vir ao de cima o melhor de Predator mas por um motivo ou por outro, nunca com o mesmo sucesso, o mesmo impacto e, sobretudo, a mesma intensidade do filme original.

A versão de Shane Black tem, reconheça-se, o condão de torná-lo mais humano do que nunca (pelas variadas razões que o filme se encarrega de explorar) mas invariavelmente fica a sensação de déjà vu e, acima de tudo, de potencial desperdiçado.

Com alguns momentos dilacerantes, a roçar a violência visualmente explícita, este The Predator tenta a colagem aos seus antecessores mas a dada altura falta-lhe motivo para tamanha matança. Sendo, ainda mais inconsistente quando coloca bem no centro da ação o jovem e, reconheça-se, amplamente talentoso, Jacob Tremblay.

O seu Rory McKenna acaba por revelar-se totalmente decisivo no desenrolar da ação, ao lado de Boyd Holbrook no papel de Quinn McKenna, o ranger do exército norte-americano que inicia “contacto” com o novo extra-terrestre, e pai de Rory.
Destaque ainda no elenco para a presença de Trevante Rhodes, aliás com grande à vontade e estilo, Olivia Munn, Thomas Jane, Keegan-Michael Key e, uns furos acima dos demais parceiros Sterling K. Brown.

Aproveitando a história da saga, este The Predator apresenta um planeta terra “habituado” às visitas extra-terrestres e com uma agência governamental especializada em recuperar elementos e informação sobre essa raça superior. Will Traeger (Brown) é o seu principal agente no terreno mas o seu trabalho vai complicar-se quando Quinn (Holbrook) e os seus colegas estabelecem contacto com um novo espécime… e prometem não recuar.

Recheado de surpresas e reviravoltas, Shane Black segue em busca de um novo rumo para a saga. Essa preocupação é cada vez mais evidente à medida que o filme se aproxima do seu desenlace, mesmo sacrificando a sua qualidade intrínseca.

Faltou chama! O famoso click que transforma filmes em fenómenos.
Talvez, talvez mesmo, a sequela chegue e tudo se resolva.

Resta esperar para ver.

   

Site
Trailer

About

Já vão 10 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Pub

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: