Home » News » Em Maio, nos cinemas…

Em Maio, nos cinemas…

Depois de Endgame, vem o resto do Verão cinematográfico.

E por falar em Monstros, abrimos os destaques deste mês, com o Rei. GODZILLA: KING OF THE MONSTERS aproveita o momentum criado pelo competente Godzilla e acrescenta-lhe… mais monstros!! O Dark Universe da Universal Pictures pode ter fracassado, mas o MonsterVerse da Warner Bros./Legendary Entertainment parece estar para ficar. E porquê? Porque tem um bom argumento, realizadores competentes e, acima de tudo, uma atmosfera fantástica. Em 2014, Gareth Edwards (Star Wars: Rogue One) tinha surpreendido ao reavivar o eterno monstro. E a avaliar pelo material promocional deste Rei dos Monstros, o franchise voltou a acertar em cheio. Recheado de emotividade, de fatalismo mas, igualmente, de plena esperança, voltamos a mergulhar neste Universo recheado (agora) de criaturas míticas, como Vera Farmiga, Ken Watanabe, David Strathairn, Kyle Chandler e a jovem Millie Bobby Brown. Para descobrir este mês como Michael Dougherty “pegou” na história e a catapultou para outro palamar, certo?

Avançamos nas sequelas em direção ao terceiro capítulo da saga John ‘Keanu Reeves‘ Wick! Há 5 anos, dificilmente alguém previa o sucesso que a personagem iria conquistar, ao ponto de se tornar num dos franchises de ação mais rentáveis e bem sucedidos da atualidade. Recheado de violência mas sempre com cenas de ação de altíssima qualidade, o filme inicial e a sua sequela, 3 anos volvidos, tornaram-se num sinónimo do bom cinema do género, com a vantagem de criar um arco narrativo que fixou os espetadores e atraiu toda uma nova generção de fãs de Keanu Reeves. É verdade que Neo tornou-o numa estrela global, mas o assassíno John Wick promete perdurá no tempo como uma das grandes personagens da carreira do ator nascido no Líbano, há 54 anos. Para os mais esquecidos, convém recordar que este JOHN WICK: CHAPTER 3 – PARABELLUM começa exatamente onde o anterior terminou, com John Wick em fuga depois de ser excomungado ou excomunicado pela Alta Cúpula… o que resultará numa verdadeira caça ao homem!

Se em termos de franchises estamos conversados, há um remake especial a caminho este mês. ALADDIN é a nova aposta da Disney, no que à transformação para imagem real dos seus grandes sucessos do cinema de animação. E, tem como aconteceu com The Beauty and the Beast, também o herói das arábias tem um atrativo extra para nós, uma vez que não vimos o filme original! Isso não quer dizer que não estejamos ao corrente do tema central da história – um jovem modesto que ao entrar numa caverna recheada de tesouros conhece um génio que lhe concede 3 desejos – nem, tão pouco da música original eternizada pelas vozes de Peabo Bryson e Regina Belle. A história ganha, assim, nova vida com Mena Massoud e Naomi Scott nos imortais papéis de Aladdin e Jasmine e Will Smith como o génio da lamparina. Guy Ritchie realiza e nós não conseguimos esconder a nossa expetativa.

Por falar em bonecos, avançamos, agora, para um dos mais famosos e adoráveis bonecos da atualidade. Pikachu, o famoso Pokemón da manga japonesa, tem direito – depois das séries de TV, jogos de computador e mil e uma outras aparências – a estrear-se na 7ª arte com um filme pleno de ação, aventura e bom humor. A escolha de Ryan Reynolds para dar voz ao adorável ratinho amarelo não podia ser mais acertada. A irreverência e sarcasmo que o ator tem bem explorou no papel de Deadpool encaixa que nem uma luva com o tom desta aventura fantasiosa, num filme que parece recuperar os melhores momentos da interação entre humanos e desenhos animados – cuja referência maior será, sempre, o icónico, Who Framed Roger Rabbit?. Intriga, aventura e um humor corrosivo parecem ser as grandes apostas de Rob Letterman para dar (nova) vida a uma personagem que faz parte do imaginário de várias gerações. E, quem sabe, POKÉMON DETECTIVE PIKACHU não seja o tiro de partida para um franchise de grande sucesso.

Mantemos o humor, mas trocamos a intriga pelo romance! Com um filme, realmente, acima da média. Já vimos LONG SHOT e não conseguimos esconder o nosso agrado pelo resultado final. Jonathan Levine que já nos brindou com alguns dos mais inspirado(re)s filmes ligeiros dos últimos anos, volta a corresponder plenamente aos apelos de um género (e do seu público) ansioso por histórias desta qualidade. Ter Charlize Theron e Seth Rogen como protagonistas ajuda, naturalmente, mas o bom gosto e a competência do jovem realizador, aliados a um argumento inteligente e sensato, são a cereja no topo do bolo de um filme que, no mínimo dos mínimos, irá alegrar o dia de todos os seus espetadores. É um romance improvável, mas não impossível, como o são todas as histórias (de Amor) que valem a pena!

Viramos a agulha para as histórias verídicas, recheadas de tensão, drama e fantasia. ROCKETMAN é a primeira, e, segundos os próprios, a mais fantasiosa… dos últimos tempos. Baseado na vida, mas sobretudo na obra de Elton John, o filme de Dexter Fletcher dá-nos a conhecer o mito para lá do homem, o artista para lá do ser humano, o ícone por detrás do cantor. Taron Egerton dá corpo e voz – consta que o jovem canta, realmente, todas as músicas do filme – ao compositor de Rocketman e tanto e tantos outros êxitos da música pop das últimas 5 décadas. O filme acompanha o artista nos primeiros anos da sua carreira e para lá das inevitáveis comparações a Bohemian Rhapsody – e de uma possível ainda que distante candidatura à temporada dos prémios – promete uma viagem fantástica e fantasiosa ao repurtório de um dos maiores artistas de todos os tempo. Ladies and Gentlamen, Sir Elton John!!

De Sir para Dame. De John para Joan. Judi Dench é a protagonista de RED JOAN, um filme baseado em factos verídicos que conta a história de um singela funcionária do governo britânico que trabalhou para a KGB durante várias décadas, período que incluiu a II Guerra Mundial e a Guerra Fria. A dama inglesa dá vida a Joan Stanley quando já no apogeu da sua vida é confrontada com as acusações do Estado inglês, enquanto Sophie Cookson é Joan nos anos da sua juventude. Intriga, paixão e a eterna discussão entre o dever, a moral e a honra, julgados os olhos de uma era totalmente distinta da vivida pela jovem espiã. Entre o passado e o presente, o filme recupera os atos e as suas consequências, assim como o impacto que estes tiveram na vida uma singela funcionária pública.

Continuamos o ciclo de histórias verídicas com algo mais próximo e contundente. Em 2008, um ataque terrorista abalou inesperadamente a cosmopolita Mumbai, Índia. Na altura, acompanhámos, na medida do possível, os acontecimentos, com especial atenção para o ataque ao Taj Hotel. Com um elenco recheado de nomes conhecidos, Dev Patel, Armie Hammer, Jason Isaacs, Nazanin Boniadi ou Anupam Kher, o realizador Anthony Maras conta a história do ponto de vista dos hóspedes e dos funcionários do hotel que (sobre)viveram esse episódio. Tensão e heroismo, num filme de cortar a respiração que promete prender os espetadores à cadeira e provocar suores frios, em face dos atos e das suas consequêcias. Haja coragem para enfrentar este HOTEL MUMBAI de olhos bem abertos e coração nas mãos.

Se a realidade é chocante, pode também ser perversa e desprezível. Ted Bundy é, segundo o próprio título do filme, a encarnação de todos estes males. Um homem comum, trabalhador, bem parecido e carinhoso, Ted Bundy é, também, um dos mais famosos serial killers dos EUA. O seu caso apaixonou a América e deixou totalmente estupefacta Elizabeth Kendall, a sua namorada na altura. E se a História é inacreditável, o nome do protagonista será igualmente imprevisível. Zac Efron assume o papel principal num desempenho lhe que tem gracejado os maiores elogios, sobretudo pela desconfortável ambiguidade que provoca – que o próprio Ted Bunny detinha – entre amá-lo ou odiá-lo. O título do filme, EXTREMELY WICKED, SHOCKINGLY EVIL AND VILE, pode parecer algo complexo e confuso, mas esclarece sucintamente ao que vamos. Preparados?

Fechamos com uma história não é verídica, mas que podia muito bem ser. THE HUMMINGBIRD PROJECT conta a história de dois amigos que tentam concretizar um dos mais ambisiosos projetos de comunicação do nosso tempo. Instalar um cabo de fibra ótica entre o Kansas e New Jersey. O objetivo? Vencer a concorrência, ao microssegundo, no desafiante e perigoso mundo das corretores de bolsa. Pode parecer algo banal mas, o tempo é realmente dinheiro, e esta empreitada pode garantir a dois amigos milhões de dólares. A história pode ser bizarra e surreal mas quando se conta com um elenco com nomes como Jesse Eisenberg, Alexander Skarsgård e Salma Hayek, tudo é possível. É um dos filmes canadianos mais badalados de 2018, e chega agora a nossa vez de comprovar que há mais cinema na América do Norte, para lá dos EUA.

Godzilla II: Rei dos Monstros, Aladdin, Uma Traição Necessária, Operação Hummingbird, Pokémon Detetive Pikachu e Rocketman são distribuídos pela NOS Audiovisuais.
John Wick 3 – Implacável e Seduz-me Se És Capaz são distribuídos pela Pris Audiovisuais.
Hotel Mumbai e Extremamente Perverso, Escandalosamente Cruel e Vil são distribuído pela Cinemundo.

About

Já vão 12 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: