Home » News » Em junho, nos Cinemas…

Em junho, nos Cinemas…

Junho, Verão por excelência. Começa, assim.

A abrir com um dos mais aguardados filmes pipoca deste ano. Independentemente do resultado final, DARK PHOENIX ficará para sempre como o marco (final) das adaptações da 20th Century Fox dos heróis da Marvel. Uma boa dúzia de filmes depois, os X-Men chegam ao seu pináculo, em função da confirmada aquisição dos Estúdios Cinematográficos da Fox por parte da Walt Disney Corp.. E, mesmo desconhecendo quais seriam os pressupostos iniciais deste ressurgimento da mais poderosa vilã do grupo, fica a clara sensação que TUDO será permitido, quanto ao destino de Magneto, Professor X, Mystique, Beast, e TODOS os outros X-Men. Com o iminente reboot em congeminação nos estúdios da Disney/Marvel, Simon Kinberg tem a derradeira oportunidade de fazer um desapegado filme de super-heróis. James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult e Sophie Turner regressam aos seus papéis… uma derradeira vez.

Por falar em Disney… e em despedidas. Woody, Jessie, Buzz Lightyear e o resto da bonecada estão, também, de regresso para mais aventuras, em TOY STORY 4. Depois de terem “largado” Andy, os bonecos mais famosos do mundo têm uma nova “companheira”, Bonnie, que os estima com igual carinho e dedicação. Parceiros em milhentas aventuras, os bonecos têm direito agora a uma história tipicamente norte-americana, juntando, num mesmo filme, dois dos mais amados eventos sociais e familiares da cultura norte-americana, as Road Trip e as Feiras Populares. Diversão para toda a família, emotividade, ternura, humor, amor, cor, fantasia e o equilíbrio certo entre cinema para pequenos e graúdos é o mínimo que se pode explorar da estreia de Josh Cooley à frente dos destino de um dos mais lucrativos e amados franchises da história do cinema de animação. Tom Hanks, Tim Allen, Joan Cusack, etc., estão todos de volta. Nós, também!

Dos EUA para o Reino Unido. E não há NADA mais tipicamente inglês do que os Beetles… e o humor britânico. Em linha com outras comédias dramáticas/românticas de grande sucesso oriundas da Ilha, YESTERDAY apela a uma certa fantasia para construir um enredo repleto de ironia, admiração e imaginação. A sinopse é do mais simples possível. Um aspirante a cantor, acordo um dia após um doloroso acidente repleto de dúvidas quanto à sua vocação como artista. Até que se apercebe que é o único, no planeta, que conhece a letras e músicas de um certo quarteto de Liverpool. Renitente Jack Malik (Himesh Patel) irá sendo empurrado para a fama, à custa de músicas que fazem parte do imaginário coletivo de todos nós… mas que são desconhecidas de todos, no filme. As músicas da maior banda de todos os tempos, já serviram de banda sonora a diversos filmes – sendo, por ventura, Across de Universe aquele que maior justiça lhes fez – mas desta vez estamos noutro patamar. Elas não servem meramente para ilustrar a história, elas são a História que Richard Curtis está a (re)escrever. Realizado pelo premiadíssimo Danny Boyle, o filme conta ainda com Lilly James e Kate McKinnon, e vários cameos como os de Ed Sheeran ou James Corden.
Please, Please Me!

As comédias de ação, especialmente com vigaristas ao barulho, conquistam o público cinematográfico há décadas e décadas. Ocean’s Eleven original, remake, respetivas sequelas e versão feminina, o clássico The Sting (com Newman e Redford) ou Catch Me If You Can, são alguns dos mais mediáticos exemplos. Pois bem, chega agora a vez das improváveis Anne Hathaway e Rebel Wilson de deixarem a sua marca. THE HUSTLE acompanha duas vigaristas de classe(s) bem dintinta(s) que unem esforços para o golpe do ano. Algures pela Europa, as duas senhoras irão espalhar o seu charme e astúcia na tentativa de ludibriar mais um bilionário incauto… mas cheira-nos que não será, de todo, assim tão fácil! Bom-humor, classe e elegância e muita diversão parecem mais do que garantidos, pelas mãos das duas protagonistas. O estreante Chris Addison realiza. O filme marca o regresso de Hathaway à 7ª arte, depois do Oscar conquistado por Les Misérables e do nascimento do seu primeiro filho. E é, também, uma ótima oportunidade de ver a australiana Wilson em novas alhadas, fora do universo Pitch Perfect. Venham elas!!

Há filmes que saltam da tela para as nossas vidas. Woody Allen tinha esse condão, especialmente aquando do seu périplo europeu. Les Petits Mouchoirs, de Guillaume Canet foi, sem dúvida, um caso especial. Especialíssimo diria. Há uma parte dessa relação que é inexplicável, e há outra que dá pelo nome de Arcachon, Cap-Ferret e a Dune du Pyla. Foi, portanto com agradabilíssima surpresa que nos deparámos com NOUS FINIRONS ENSEMBLE. A conexão pode não ser imediata, mas estamos perante a sequela do anterior filme. Canet volta a realizar e a larga maioria do elenco (Cluzet, Cotillard, Lafitte, Lellouche) inicial volta para mais histórias deste grupo de amigos apaixonados pela vida. O filme já estreado em França, recupera as relações e ralações das personagens que já conhecemos, juntando-lhes 7 anos de convívio e as suas consequências. A velha máxima de “nunca regresses onde já foste feliz” irá, mais uma vez, ser colocada à prova e é impossível controlar as expetativas, mesmo estando ciente do risco e da pressão criada.

Por falar em regressos, os agentes intergaláticos mais famosos do mundo têm direito a novas aventuras, desta vez além fronteiras. Depois de Will Smith, Tommy Lee Jones e Josh Brolin, chega agora a vez de Chris Hemsworth e Tessa Thompson vestirem o fato preto impecável e os óculos de sol noturnos. Novas ameaças extraterrestres, vários cenários de cortar a respiração e um realizador de créditos firmados. F. Gary Gray vem do oitavo capítulo do mega franchise Fast & Furious para o 4º capítulo de MIB. MEN IN BLACK: INTERNATIONAL promete recuperar o espírito da saga, num misto de ação, humor e ficção científica sem contemplações. Rebecca Ferguson, Emma Thompson e Liam Neeson e Kumail Nanjiani completam o elenco.

Quem está, também, de regresso é Max,… Duke, Snowball, Chloe, Pops, Gidget e muitos e muitos dos “nossos” animais preferidos. Três anos depois de encherem as medidas da pequena (e dos mais graúdos, naturalmente), continuamos a escurtinar as vidas secretas dos animais de estimação mais famosos do cinema. Chris Renaud volta à cadeira de realizador em THE SECRET LIFE OF PETS 2, e depois do extraordinário sucesso do seu antessor, as expetativas continuam em alta. A campanha de promoção tem sido plenamente eficaz, na dupla função de despertar a nossa mais profunda curiosidade e de esconder grandes detalhes sobre a história deste segundo capítulo. Sem dúvida alguma, estamos perante um dos melhores anos para o cinema de animação. E ainda vamos a meio do ano.

Agora que as YA Adaptations estão de volta ao panorama cinematográfico (nacional), THE SUN IS ALSO A STAR. Baseado no bestseller do New York Times, o filme adapta a obra homónima de Nicola Yoon, sobre um jovem casal a braços com as perpétuas inseguranças do Amor. Ry Russo-Young, que estreou em 2017 o simpático Before I Fall, é a responsável por esta adaptação que conta com os jovens Yara Shahidi e Charles Melton como protagonistas. Até que ponto o destino está realmente definido ou tudo, especialmente o Amor, é apenas obra do acaso? O sentido de urgência irá ampliar, ainda mais, a história (de Amor) de Natasha e Daniel, num fatídico dia em que TUDO será colocado à prova. Cinema também é sonhar, sentir, sorrir e amar através da câmara. Prontos?

Cinema também é ser levado ao extremo. Mads Mikkelsen terá ultrapassado durante as filmagens bem mais privações do qualquer um dos espetadores que tenha assistido a ARCTIC, mas isso não quer dizer que deste lado da tela, a experiência não seja igualmente (ou mais) dolorosa. Apresentado como um dos mais intensos filmes de sobrevivência dos últimos anos, a obra de Joe Penna conta a história de um explorador perdido algures no Ártico, após um desastre de aviação. Isolado e sem grande contraponto, o ator dinamarquês é o foco e destino do próprio filme. E consta que o seu desempenho é realmente memorável. O tour de force de Mikkelsen foi um dos destaques do festival de Cannes de 2018. Um ano depois continua a surpreender e a prender espetadores por todo o mundo. Este mês chega a vez do nosso país.

Olivia Wilde. Há filmes que podem definir uma carreira e a atriz nova-iorquina tem em A VIGILANTE uma imensa oportunidade de transformar a sua carreira. Mais reconhecida pela silhueta e feições proporcionais, Wilde veste, no filme de Sarah Daggar-Nickson, o papel de vingadora. Uma mulher que faz justiça pelas próprias mãos, perante casos de violência doméstica. Um filme atual e contundente que promete colocar o dedo na ferida e recolocar o assunto na ordem do dia. Pode não ser a forma mais convencional de lidar com a questão, mas Sadie fará, certamente, a diferença. Veremos até que ponto, cinematograficamente falando, o filme acompanha o impacto da história, e convence para lá do desempenho da sua protagonista.

Antes de concluir recuperamos o destaque a STOCKHOLM publicado na nossa antevisão de Abril e cuja estreia está agora confirmada para este mês.
Há mitos que perduram, tanto na vida real, como no entretenimento. Ninguém parece saber muito bem de onde vêm e se realmente aconteceram. É para isso que temos STOCKHOLM. Podia ser um daqueles filmes-cartão postal, para homenagear a capital da Suécia mas está muito longe de o ser. Apesar de ter sido rodado na Escandinávia (e no Canada), o filme de Robert Budreau é muito mais sobre o Síndrome do que sobre a cidade. Em meados dos anos 70, um grupo de assaltantes sequestrou os funcionários e clientes de um banco durante um peculiar roubo. A atração entre vítimas e bandidos durante e após o assalto, passou a ser conhecido como o Síndrome de Estocolmo. Ethan Hawke, Noomi Rapace e Mark Strong forma o trio de protagonistas deste thriller que podia muito bem ser uma comédia dramática, não fosse baseado em factos verídicos. É um dos mais nomeados aos Prémios de Cinema Canadianos e daqueles filmes que se ama (ou odeia?) à primeira vista!

As Vigaristas, Yesterday, Pequenas Mentiras Entre Amigos 2, A Vida Secreta dos Nossos Bichos 2, Toy Story 4 e O Sol Também é Uma Estrela são distribuídos pela NOS Audiovisuais.
X-Men: Fénix Negra e MIB – Homens de Negro: Força Internacional são distribuídos pela Big Picture Films.
A Vigilante é distribuído pela Cinemundo.
Árctico é distribuído pela Cinema Bold.
Síndrome de Estocolmo é distribuído pela Films4You.

About

Já vão 12 anos desde que começámos este projeto. Expandimos para o facebook, para o twitter, para o youtube para o instagram e agora temos um site personalizado. Publicamos crítica, oferecemos convites e partilhamos a nossa paixão pelo cinema. Obrigado por fazeres parte dela!

Pub

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: